Enem, vestibulares e autocuidado!

Isadora Bettarello Home, Mente e Equilíbrio

 

No ano de 2020, a vida de todas as pessoas foi marcada pelo desafio coletivo da pandemia do novo coronavírus e a educação foi uma das áreas mais afetadas, o que resultou em grandes impactos do ensino remoto sobre o bem-estar e a qualidade de vida de alunos e professores. Diante de todas as incertezas que a COVID-19 trouxe, encontramos o desafio dos jovens em busca da tão sonhada universidade.

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é a principal forma de ingresso nas instituições públicas de nível superior. Em 2020, por causa da pandemia de coronavírus,  as provas impressas serão realizadas nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021, já a versão digital ficou para 31 de janeiro e 07 de fevereiro de 2021. A pontuação no Enem é usada como critério para acesso a programas como o Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (ProUni).

As medidas de segurança foram incluídas nos editais e merecem atenção dos candidatos. Além de comparecer ao local de aplicação das provas com documento oficial de identificação com foto, é necessário portar máscara de proteção. Em caso de descumprimento, o candidato poderá ser impedido de realizar o exame.

 

Atenção à pressão diante das provas!

O período que precede as provas dos vestibulares e ENEM é um momento de inúmeras tensões e inseguranças para os jovens que irão disputar uma vaga nas principais universidades do país. O estudante precisa se adaptar à uma nova jornada e organizar uma grande dedicação aos estudos. Neste processo, os jovens acabam renunciando a muitas coisas em sua vida em troca de uma rotina exigente. Nessas circunstâncias, existe uma sobrecarga imensa gerada pela pressão escolar, ainda mais para estudantes concluintes do Ensino Médio.

Essa rotina que inclui horas de estudo e dedicação, muitas vezes não contempla os cuidados com a saúde física e mental, o que pode causar possíveis desequilíbrios na vida integral do estudante como ansiedade, insegurança, medo e angústias.

Em junho passado, uma pesquisa do Conselho Nacional da Juventude com 33,6 mil jovens apontou que a metade deles pretendia prestar o Enem. Desse grupo, 67% diziam não estar conseguindo estudar para o exame desde a suspensão das aulas presenciais. E 49% haviam pensado em desistir da prova.

Outra pesquisa, ConVid Adolescentes, realizada pela UFMG e pela Fiocruz entre junho e setembro de 2020, evidencia que, durante a pandemia, 48,7% dos adolescentes do país sentiam preocupação, nervosismo ou mau humor, na maior parte do tempo ou sempre.

Quase um quarto dos adolescentes entre 12 e 17 anos começaram a ter problemas no sono, e 59% sentiram dificuldades para se concentrar nas aulas à distância.

Os dados demonstram a necessidade de promoção de saúde aos adolescentes durante todo o período de preparação para as provas. É uma fase que exige resiliência, paciência e apoio, tanto da escola quanto dos familiares.

 

Saúde emocional e a conquista da autonomia

Os jovens de 2020 tiveram que enfrentar toda a exigência para os vestibulares, aprenderam o significado da palavra “reinventar” e tiveram que usá-la com sabedoria. Apesar das dificuldades e do abalo emocional, muitos alunos conseguiram utilizar a tecnologia a seu favor e descobrir novas oportunidades para o estudo. Assim, algumas dicas são valiosas para esse período de provas:

  • Mantenha uma rotina, pois ela contribui para o cérebro se organizar e ter maior rendimento;
  • Tenha pensamentos positivos consigo e com os outros;
  • Mantenha hábitos alimentares saudáveis;
  • Qualidade do sono satisfatória;
  • Equilibre prazer com dever;
  • Faça atividade física dentro de casa (vale um alongamento ou dançar frente ao espelho!);
  • Pratique exercícios de respiração e meditação;
  • Não estude na véspera de provas. Ir com o cérebro descansado pode ser um fator determinante;
  • Pais e/ou responsáveis: busque meios de aliviar a tensão dos jovens nesse período, o diálogo aberto, habilidades para reduzir conflitos e inseguranças são imprescindíveis;
  • Rede de apoio familiar.

O percurso rumo às universidades no ensino remoto, mesmo que desafiador e disparador de muitas angústias, promoveu um processo transformador e de empatia. Adolescentes de camadas sociais distintas estão em busca da tão sonhada matrícula em uma universidade pública, estudar e contribuir para mudar a realidade do Brasil. Então, respire fundo, use álcool em gel, sua máscara, o distanciamento social e faça uma excelente prova. Afinal, como diz Paulo Freire “Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas mudam o mundo”.

 

A VIBE DESEJA À TODAS E TODOS UMA ÓTIMA PROVA! 

Como a Vibe pode me ajudar?

Temos uma equipe de psicólogos especializados para te acompanhar em seu processo de autoconhecimento com sessões agendadas no ambiente online para te ajudar neste momento de ansiedade antes da prova.

 

Vem com a gente!

Baixe nosso APP Baixe Vibe na Play StoreBaixe Vibe na Apple Store