Enfermeira olímpica

LUCIANA HATAIAMA

No último dia 23, Gabriela Chibana abriu a participação brasileira no judô feminino dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Após vencer na primeira fase, aplicando um ippon com apenas 15 segundos de luta, Gabriela acabou eliminada por Distria Krasniq, atleta do Kosovo que lidera o ranking mundial na categoria peso ligeiro. A atuação da brasileira chamou minha atenção, mas por uma razão que vai além do esporte.

Paulistana de 27 anos, descendente de japoneses, Gabriela é enfermeira. Em entrevistas recentes, ela explica as dificuldades para conciliar a rotina pesada de treinos de uma atleta olímpica com as tarefas da graduação. Comenta também o papel decisivo de seus pais, que insistiram na conclusão da faculdade em paralelo à carreia no esporte.

A história de Gabriela me cativou. Em primeiro lugar, porque também sou enfermeira e neta de japoneses. Senti minha própria experiência ecoar em algumas passagens e detalhes da trajetória de vida da judoca.

Mas, principalmente, peguei-me refletindo sobre o princípio do “Jita Kyoei”, cultivado pelos atletas de judô. “Jita Kyoei” significa algo como “prosperidade e benefícios mútuos”. Trata-se de praticar a solidariedade, de promover o bem coletivo, de ter resiliência na busca por melhorias para todos.

Curioso como esse lema amarra muitas histórias. “Jita Kyoei” está presente na trajetória corajosa de Gabriela, como também na ética que pauta a carreira da enfermagem. Gabriela se formou em 2019, antes do surgimento da pandemia, mas ela destaca a importância dessa profissão que, em suas palavras, “se coloca na linha de frente para cuidar e salvar vidas” especialmente nos dias atuais.

“Jita Kyoei” também está presente na própria história do Japão, país-sede das Olimpíadas e terra natal dos meus antepassados e dos de Gabriela. Afinal, solidariedade foi imprescindível para que aquela nação pudesse se reconstruir após duas bombas atômicas, chegando ao século XXI como potência econômica e cultural.

Por fim, creio que o “Jita Kyoei” também é um dos valores cultivados pela ViBe. Com união e trabalho e equipe, perseguimos o objetivo de promover a saúde e o bem-estar para o maior número de pessoas, especialmente para aqueles setores da população que mais precisam de nossa solidariedade.

A história da judoca-enfermeira Gabriela Chibana é uma inspiração para todos os indivíduos e empresas que buscam, com foco, determinação e resiliência, construir uma sociedade mais próspera.

 

Luciana Hataiama é enfermeira-chefe da ViBe.

 

Baixe nosso APP Baixe Vibe na Play StoreBaixe Vibe na Apple Store