Presenteísmo: você sabe o que significa?

Presenteísmo é quando o indivíduo está fisicamente presente, mas está desconectado mentalmente de sua atividade. Já passou por isso?
presenteismo

O termo presenteísmo foi criado por Cary Cooper, um psicólogo especialista em administração organizacional, para descrever o estado em que o indivíduo se encontra fisicamente presente em seu local de estudo ou trabalho, mas está desconectado mentalmente de sua atividade.

Foi somente a partir dos anos 1990 que o Presenteísmo começou a ter maior relevância nas organizações, quando as taxas de desemprego aumentaram e as pessoas passaram a se sentir inseguras em seu ambiente de trabalho, afetando, consequentemente, a produtividade dos colaboradores.

Claro que todo mundo passa por dias em que problemas emocionais e físicos influenciam na concentração e na produtividade. Esses momentos fazem parte da vida, porém no Presenteísmo o comportamento vai se tornando crônico e pode trazer enormes prejuízos para a saúde e para as relações interpessoais de quem está passando por isso.

Em momentos de crise as preocupações e os medos que suergem, podem reforçar tal quadro, principalmente em ambientes estressantes, tensos, com uma carga excessiva de trabalho e de cobranças por performance. Algo que se intensifica ainda mais quando não há espaços para o diálogo e para se admitir as fragilidades da vida.

Presenteísmo e Síndrome de Burnout

Neste sentido, o presenteísmo pode estar associado à Síndrome de Burnout, com sintomas como: dores no corpo, dores de cabeça, dificuldades de concentração, sintomas de ansiedade e depressão.

E mesmo com a enorme sensação de mal-estar todos os dias, não é raro que as pessoas que convivem com este quadro, façam hora extra como uma maneira de mostrar seu comprometimento, sem perceber, no entanto, que sua produtividade acaba sendo cada vez mais baixa e seu estresse cada vez mais alto. 

O medo de ficar sem uma renda ou de perder uma posição “importante”, muitas vezes faz com que as pessoas se sintam presas ao trabalho atual, sem conseguir pensar na possibilidade de buscar outras alternativas.

Há uma visão de que é necessário aguentar o sofrimento e continuar convivendo com isso. Sim, sabemos que o trabalho ocupa um espaço importante na vida, mas a pergunta que fica é: Será que vale a pena priorizar o trabalho em detrimento da saúde? O que adianta se manter numa atividade sem ter saúde?

Práticas saudáveis que ajudam no presenteísmo

  • Estar atento à sua saúde física e emocional;
  • Manter uma rotina de atividades físicas e alimentação saudável;
  • Conhecer e respeitar seus limites;
  • Sempre buscar descansar e se desconectar do trabalho ao voltar para casa;
  • Ter momentos de prazer em que consiga se “desligar”
  • Manter sua rede de apoio próxima;
  • Se perceber que está pesado, conversar com alguém de confiança;
  • Entender que não é preciso aguentar o sofrimento e sim, admiti-lo e cuidar dele;
  • Buscar acompanhamento psicológico quando perceber que não está dando conta sozinho.

Escrito por Mariana Fajngold Costa – CRP 06/165062

Converse com a Vivi, sua nova assistente de saúde mental digital gratuita

Um app feito para cuidar de você com empatia do jeito que você merece

Acompanhe nossos conteúdos

Abrir bate-papo
Olá, como posso ajudar?